A mulher na literatura oral capixaba: um breve itinerário no congo da Barra do Jucu

Main Article Content

Maria Mirtis Caser
Ana Catarina de Pinho Simas Oliveira

Article Details

Artículos
Mirtis Caser, M., & de Pinho Simas Oliveira, A. (2019). A mulher na literatura oral capixaba: um breve itinerário no congo da Barra do Jucu. Con<i><b>t</b></i&gt;Extos: Estudios De Humanidades Y Ciencias Sociales, (44). Recuperado a partir de http://revistas.umce.cl/index.php/contextos/article/view/1516
estadisticas

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Resumen

Este artigo tem como objetivo analisar e identificar, na poesia de um dos pontos de jongo mais populares do congo da Barra do Jucu, uma escrita sexista que ultrapassa o discurso narrativo de origem africana, que se estabelece no Brasil à época da colonização. Antes, porém, mostra registros das toadas de congo no Espírito Santo durante a colonização e antecipa, à análise literária, uma introdução sobre a Literatura Oral em apontamentos da crítica no mundo e no Brasil sobre o tema, com o objetivo de identificá-la em alguns cânones da literatura, tais como: Paul Sébillot e Reinhold Kohler, estrangeiros, e Câmara Cascudo e Guilherme dos Santos Neves, brasileiros, para entender como nasceu e se deu o fenômeno da Literatura Oral. A partir de então, analisa a letra da toada da Barra do Jucu reeditada por Martinho da Vila, a qual se tornou bastante conhecida e aceita socialmente.